Como identificar um bom cabernet sauvignon chileno em 3 passos

Uma das principais cepas tintas em qualidade e distribuição produz vinhos deliciosos, como o cabernet sauvignon chileno, cheio de sabor de frutas maduras. Essas uvas podem ser misturadas com merlot, cabernet franc, syrah, carmenère, carignan e petit verdot. Trazendo características distintas são vinhos bem estruturados, de tons profundos, com sabores de fruta negra, eucalipto e tabaco se forem amadurecidos em carvalho.


Primeiro passo

A cabernet sauvignon é a uva tinta mais conhecida e difundida em todo o mundo. Tem grande facilidade de adaptação a diferentes climas e solos, por isto pode ser cultivada em praticamente todas as principais regiões vinícolas, entre elas Bordeaux (França) onde se originou. Pequena, de cor intensa, de casca muito espessa, com grande quantidade de material sólido e escuro, além de taninos em abundância. No Chile, essa grande quantidade de tanino é uma exceção! Portanto, esse é o primeiro passo para saber que se trata de um cabernet sauvignon chileno. São vinhos menos tânicos.

Mas, você sabe o que isso significa? O tanino está presente nos vinhos tintos e é resultante da casca e sementes da uva provocando uma sensação de secura ou adstringência no fundo da língua, como se amarasse a boca. No entanto, essa característica precisa estar equilibrada num bom vinho chileno.

Segundo passo

O vinho cabernet sauvignon chileno, normalmente, utiliza o formato Bordeaux de garrafa. Que possui corpo reto, com ombros definidos. Podendo ser na coloração verde porque ela é usada para vinhos que envelhecem muito tempo em adegas e que acabam acumulando sedimentos. Tem os ombros mais marcados para impedir que esses resíduos sólidos cheguem na taça. O formato bordalês, que mantém o gargalo bem reto, vem se tornando tradicional também paras outras uvas, porque apresenta um manuseio mais fácil. Da estocagem ao transporte, o Bordeaux é considerado o formato mais prático para o mercado global. Nos países do Novo Mundo, os produtores costumam escolher a garrafa que melhor condiz sobre vinhos que produzem. Então, esse é o segundo passo para comprovar que este vinho é do Chile.

Origem da uva

A uva branca sauvignon blanc combinada com a uva tinta cabernet franc forma uma das mais conhecidas no mundo, a cabernet sauvignon! Essa é a cepa mais cultivada no Chile, com certeza, porque dobrou sua área de plantio nos últimos 10 anos. Por ser um país com uma faixa de terra longa e estreita delimitada pelos Andes, a leste, e pelo Pacífico, a oeste; a maioria dos vinhedos concentra-se no Vale Central, localizado entre a serra costeira e os Andes, e em vales de rios menores que deságuam no mar.

As uvas são cultivadas por mais de 1.300km desde o Atacama, no norte, até o Vale de Malleco, no sul. O solo apresenta pedra calcária e argila com silte aluvial perto dos rios. O clima é marítimo e variado ao extremo, com altos índices pluviométricos ao sul e calor intenso ao norte. Caindo drasticamente as temperaturas à noite perto das montanhas, com risco de geadas.

Terceiro passo

Vinhos fermentados ou maturados em barricas de carvalho são melhores porque dão à bebida maior complexidade no aroma e sabor que os que utilizam métodos mais baratos como lascas de carvalho, sachês ou essência. Se o rótulo de um vinho tiver frases como “maturação em carvalho” ou “influência do carvalho” em vez da palavra “barrica”, seu produtor provavelmente fez uso de um desses processos. As barricas criam um sabor de madeira integrado. A maioria dos cabernet sauvignon chileno passa por barricas de carvalho americano ou francês. Outro passo para identificar a qualidade da bebida e sua localidade.

Taça ideal

A taça Bordeaux possui bojo grande, bordas mais fechadas. Ideal para vinhos tintos das uvas cabernet sauvignon, merlot, malbec e syrah porque seu formato impulsiona a bebida para a ponta da língua.

A Wine Lovers tem diversos vinhos cabernet sauvignon chileno, quer conhecer alguns?

Da vinícola InVina localizada no Vale do Maule, área mais meridional do Vale Central, região que possui quatro microclimas diferentes, com planícies amplas e horizontais, com colinas baixas. De propriedade da família Huber, com mais de 15 anos de experiência, temos o rótulo:

Tricky Rabbit Cabernet Sauvignon/Syrah Reserva, com 60% cabernet sauvignon e 40% syrah. Vinificação das uvas maceradas a frio durante cinco dias, depois fermentação em tanques de aço inoxidável com temperatura controlada entre 24 e 28o C por 10 dias. Envelhecimento durante 8 meses em barris de carvalho novos e usados. No nariz, aromas de frutas vermelhas, acidez surpreendente. Frescura, tons de tabaco persistente. Na boca, sabor de chocolate delicado. Harmoniza com diferentes cortes de carne vermelha, queijo maduro e massas.

Da vinícola Vinã von Siebenthal do Vale do Aconcágua, área ligada aos Andes e ao Pacífico pelo rio de mesmo nome. Idealizada pelo suíço Mauro von Siebenthal e agora sócio de quatro amigos que realizaram o sonho de produzir os melhores vinhos, extremamente elegantes e expressivos da região. Oferecemos os seguintes rótulos premiados:

O vinho Carabantes Syrah Premium com 85% syrah e 15% cabernet sauvignon. Colheita manual. Maceração a frio, fermentação e nova maceração pós-fermentação em cubas de aço inoxidável, envelhecimento em barris de carvalho americano e francês por 18 meses e descanso em garrafa por mais 12 meses. No nariz, aromas intensos de violeta e alecrim. Na boca, elegante com taninos muito finos. De forte personalidade. Harmoniza bem com carnes vermelhas e de cervo.

Outra sugestão é o Montelig Super Premium com 40% cabernet sauvignon, 30% petit verdot e 30% carmenère. Colheita manual. Maceração a frio, fermentação e nova maceração pós-fermentação em cubas de aço inoxidável, envelhecimento em barris de carvalho francês por 25 meses e descanso em garrafa por mais 24 meses no mínimo. Destaca-se no nariz, aromas de compota, baunilha, cravo e especiarias. Com a oxigenação aparecem os aromas primários como notas de ameixa, cereja e no final toque mentolado. Na boca é concentrado e extenso, com taninos firmes e compactos. Boa acidez, tornando-o um vinho com grande potencial de guarda. Ideal com carne assada, caçarolas de carne, carnes vermelhas grelhadas e pratos preparados com molhos cremosos.

Mais um vinho incrível é o Parcela #7 Gran Reserva com 40% cabernet sauvignon, 31% petit verdot, 16% merlot e 13% cabernet franc. Colheita manual. Maceração a frio, fermentação e nova maceração pós-fermentação em cubas de aço inoxidável, envelhecimento em barris de carvalho americano e francês por 20 meses e descanso em garrafa por mais 12 meses no mínimo. O paladar é aveludado, com taninos finos. Sabores de frutos vermelhos, ervas selvagens e acabamento de azeitonas com uma cobertura de carvalho. Pratos de carne vermelha (medalhão de filé mignon grelhado com risoto de funghi), costeleta de cordeiro, massas recheadas com molho à base de queijos e pratos com aves.



0 visualização

32 99987-2728

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2018 Wine Lovers