Tudo que você precisa saber sobre vinhos uruguaios


A ciência já descobriu que dentro de uma garrafa de vinho existem substâncias que fazem bem a nossa saúde e ajudam a prevenir doenças, especialmente as do coração. Agora, novas pesquisas revelam que a quantidade dessas substâncias é maior em algumas variedades de uva. Uma das campeãs é a Tannat, a uva mais plantada no Uruguai. Deve ser por isso que os vinhos uruguaios estão tão bem cotados no mundo do vinho atualmente!

História

Desde que os imigrantes bascos plantaram as primeiras vinhas, nos anos de 1870, a indústria vinícola uruguaia fez progressos surpreendentes. A maior parte dos vinhedos fica no sul, mais frio, perto de Montevidéu, caso de Canelones e San Jose, onde estão as vinícolas mais importantes. A família Pisano plantou o primeiro vinhedo em 1914 e ainda hoje exporta vinhos de alto nível para vários mercados internacionais. Outro produtor importante, cultiva as vinhas na região vizinha de Canelones, onde a influência do Oceano Atlântico estabiliza a temperatura e prolonga o período de desenvolvimento. Mais ao norte, várias províncias têm bom potencial como em Rivera, que também são cultivadas outras vinhas.

A uva Tannat, no Uruguai chamada Harriague, é a mais cultivada. Proveniente do sul da França, ela é responsável pelos vinhos uruguaios mais interessantes, tipicamente de cor profunda, estrutura firme e frutas negras, mas a qualidade pode variar bastante. É preciso passar por madeira para poder dar uma amaciada nos taninos. Uvas internacionais como Cabernet Sauvignon, Merlot, Sauvignon Blanc e Chardonnay também estão ganhando popularidade.




Características distintas

O Uruguai é um país quente com bastante incidência solar, mas ele tem uma ajuda que é a influência marítima do Atlântico e também de algumas correntes vindas da Antártida, que fazem a maturação das uvas ocorrer de forma bastante equilibrada.

É um país pequeno, tradicional e calmo. Tem cerca de 3,5 milhões de habitantes, o que equivale à população de Curitiba (PR). Tem umas características climáticas e topográficas bem específicas. Portanto, está localizado em uma posição privilegiada para o cultivo das uvas na mesma faixa de grandes produtores de vinho como Chile, Argentina, Austrália e Nova Zelândia.

Possui um solo argiloso e um sistema equilibrado de sol, chuvas e temperaturas que são ótimos para o crescimento das videiras. Os amantes dos bons vinhos uruguaios encontrarão uma grande variedade de vinícolas familiares com diversas propostas turísticas para curtir, visitas guiadas, degustações e a possibilidade de conhecer os diversos processos como a colheita da uva, a vinificação, etc.

A exportação de vinhos uruguaios vem crescendo exponencialmente a cada ano que passa. Com uma história de mais de 200 anos de produção, graças aos imigrantes espanhóis e franceses, os uruguaios estão também entre os maiores consumidores de vinho per capta com cerca de 29 litros, maior que o Chile, mas ainda inferior que a Argentina.



Uva ícone

A Tannat é a principal casta do Uruguai e que trouxe o país para o mundo do vinho, praticamente considerada como um patrimônio nacional e que ocupa cerca de um terço de todos os vinhedos do país. Os produtores apostam nas mais diversas tipologias de vinhos produzidas com ela que variam desde espumantes, rosés leves e frutados passando por vinhos tintos jovens, tintos de guarda e até mesmo vinhos licorosos. A Tannat mais jovem apresenta cores mais vivas, com tons de violeta, púrpura e aromas frutados, na medida em que amadurece os taninos se suavizam e os aromas tornam-se mais sutis e complexos. Esse é um dos segredos dos vinhos uruguaios ser tão especiais.

Sua fama é conhecida por todos como a uva que gera vinhos tânicos, encorpados, com bastante adstringência e acidez alta. Ela traz características de um vinho com frutas negras maduras, às vezes encontra-se chocolate nos seus aromas, e sem dúvida nenhuma quando trabalhada bem na madeira agrega também todas as nuances provenientes dela como coco, baunilha, chocolate amargo. Na harmonização são indicadas as carnes vermelhas. É o par perfeito de um bom churrasco.

Ascendência europeia

Na França, sua região de origem, a Tannat é muito utilizada como corte com a Merlot ou a Cabernet Franc dando mais suavidade ao excesso de tanino que esta casta apresenta. Já no Uruguai é produzida sozinha, mas com a sua vinificação em barricas de carvalho americano e francês para suavizar e deixar a uva mais macia.

A variedade que produz um vinho de vermelho intenso foi trazida do sul francês, no fim do século XIX, de um local chamado Madiran, que é bem interessante por continuar a fazer vinhos bastante rústicos. O nome Tannat se deve a forte presença de taninos que são antioxidantes naturais, combatem o envelhecimento precoce e ajudam a prevenir doenças, entre elas, alguns tipos de câncer.



Benefícios

É uma uva que tem muita personalidade, potência, equilíbrio, complexidade e elegância. Uma pesquisa do Instituto Clemente Stabilen, em Montevideú, comparou três variedades de uvas produzidas no Uruguai: Tannat, Merlot e Cabernet Sauvignon. A pergunta era qual dos três tipos seria capaz de retardar por mais tempo a decomposição em cérebros de ratos. O vinho com a uva Tannat obteve de longe o melhor resultado.

“Todos nós temos defesas que são capazes de contra-atacar os radicais livres, mas quando eles estão em uma quantidade excessiva nossas próprias defesas não são suficientes. Então, os antioxidantes vão ajudar o organismo a atacar esses radicais livres e a melhorar certas enfermidades onde se produziu”, explica a bioquímica, Carolina Echeverri.

No Brasil, outra descoberta feita por pesquisadores da PUC de Porto Alegre, também comparou vários tipos de vinho tinto e encontraram na uva Tannat uma elevada quantidade de resveratrol, um antioxidante potente batizado de elixir da juventude.

“O resveratrol é um antioxidante diferente, que vai atuar em uma proteína chamada sirtuína que está ligada ao envelhecimento. Ela evita doenças como Parkinson, Alzheimer e doenças cardiovasculares”, conclui o químico, André Arigony.

O cardiologista e professor da Universidade Católica de Montevideú, Ricardo Benedetti, indica o vinho da uva Tannat para seus pacientes, mas alerta se você já é consumidor de vinho que siga tomando em doses pequenas porque em quantidades grandes pode levar ao vício e aí terá outro problema.

Os pacientes que seguem a sua recomendação perceberam melhoras como o narrador esportivo, Carlos Munhoz, que toma uma taça de vinho produzido com a uva Tannat por dia no jantar, e diz que o bom colesterol subiu de 50 para 60 ml, o que afasta o risco de um infarto, por exemplo.

Expansão

Além da Tannat, os produtores deste pequeno país também cultivam variedades como a Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec e Sangiovese, entre as uvas tintas. E as variedades brancas mais cultivadas são Chardonnay, Sauvignon Blanc, Semillion, Reisling e Viognier. A produção vitivinícola do Uruguai está em ascensão no mundo dos vinhos.

Para conhecer mais sobre as vinícolas e os vinhedos existe uma organização chamada Los Caminos del Vino de Uruguay (Os roteiros do Vinho no Uruguai) que reúne as principais vinícolas oferecendo uma visita experencial e sensorial com o objetivo de transmitir a história, a cultura e os mistérios do vinhos uruguaios. Saiba mais no site: www.uruguaywinetours.com

Vinhos uruguaios artesanais

A Artesana Vinos Finos de Uruguay é uma vinícola boutique que produz vinhos finos de alta qualidade que são importados pela Wine Lovers. Está localizada em Las Brujas, Canelones, a região vinícola principal e mais conhecida do Uruguai. Dos 8,5 hectares de vinhedo são colhidas as melhores uvas e que expressam de forma única o seu terroir. A vinificação é muito cuidadosa, sempre respeitando as diferentes parcelas com intervenção mínima para que a uva se expresse. Seus vinhos uruguaios artesanais mostram um profundo aroma de frutas e toque impecável de tanino, sendo ao mesmo tempo elegante e complexo. A produção em pequena escala permite aos produtores ter controle total, desde a colheita até o engarrafamento do vinho. A linha é composta por Tannat, cortes de Tannat e Zinfandel, o primeiro e único no Uruguai.



A vinícola esteve presente no evento Tannat Tasting Tour Brasil, no último dia 14 de agosto de 2018. Organizado pela Wines of Uruguay , com o apoio do Instituto Nacional de Viticultura do Uruguai – INAVI, no InterContinental Hotel, em São Paulo (SP), apresentou seu portfólio em uma Master Class e após participou de um Grand Tasting que contou com a presença de profissionais do mercado, imprensa e formadores de opinão.








SELEÇÃO DE RESERVAS

O vinho de entrada é o Tannat Reserva, composto de 100% das uvas Tannat, tem sua colheita de modo manual, maceração por pré-fermentação durante 48 horas em temperatura baixa, na sequência continua o processo durante a fermentação alcoólica e é vinificado por fermentação em tanques de aço inox a temperatura controlada durante 20 dias. A fermentação é feita de forma maloláctica em barris de carvalho e envelhece durante 12 meses em barricas de carvalho francês e americanos novos e de segundo uso. Tem um teor alcoólico de 14,2%, o que permite ser considerado um vinho encorpado e impregnado com cassis ricos e muitas amoras. Repleto de camadas de alcaçuz, cravo, cedro e pimenta da Jamaica. Na boca é harmônico, redondo e com final persistente. Pode ser harmonizado com carnes vermelhas, de caça, de porco e massas.

Outro vinho é o Tannat – Merlot Reserva que possui 50% de Tannat e 50% de Merlot. Colheita de modo manual, fermentação em tanques de aço inox a temperatura controlada por aproximadamente 20 dias. Fermentação maloláctica em barris de carvalho e envelhecimento durante 20 meses em barricas de carvalho americanos e francês. Teor alcoólico de 14,8%, rico em frutas silvestres vermelhas e pretas, notas de especiarias e cedro tornando-se um vinho com acabamento elegante, redondo e persistente. Combina bem com massas e carnes como salsichas, carne de carneiro e de porco.

O vinho Tannat – Zinfandel Reserva é icônico por ser uma das únicas vinícolas no país a produzir a uva Zinfandel ganhando grande destaque. Com 80% Tannat e 20% Zinfandel, a colheita é de modo manual, maceração pré-fermentativa durante 48 horas a baixas temperaturas e depois continua o processo durante a fermentação alcoólica. Vinificado por fermentação em tanques de aço inox a temperatura controlada durante 20 dias. Fermentação maloláctica em barris de carvalho e envelhecimento durante 12 meses em barricas de carvalho francês e americanos novos e de segundo uso. Teor alcoólico de 14%. Apresenta grande complexidade de aromas, desde os frutos maduros até as especiarias e um delicado defumado. É redondo, com taninos suaves e amadurecidos, resultando em um final longo. Perfeito com carnes vermelhas de caça e de porco.

O vinho Tannat-Zinfandel-Merlot Reserva possui 55% de Tannat, 25% de Zinfandel e 20% de Merlot que são colhidas manualmente, vinificadas por fermentação em tanques de aço inox a temperatura controlada durante 25 dias. Em seguida passa por fermentação maloláctica em barris de carvalho e envelhece por 24 meses em barricas de carvalho francês. Teor alcoólico de 14,5%, é profundamente aromático com ricas camadas de framboesa preta, alcaçuz, cedro e especiarias de padaria. Promove um paladar aveludado e suave, com final redondo. Combina com queijos fortes, massas, assados e carnes grelhadas.

O grande destaque é o lançamento do vinho Zinfandel que possui 100% da uva Zinfandel. Colheita manual, fermentação em tanques de aço inox a temperatura controlada durante 15 dias seguida da fermentação maloláctica. Teor alcoólico de 13,9%, o que acarreta um vinho fresco, com boa concentração e elegância. Que em breve vai chegar para os consumidores no Brasil.

A Tannat é a uva que possui a maior concentração de antioxidantes, portanto um ótimo motivo para conhecê-la!



26 visualizações

32 99987-2728

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2018 Wine Lovers