Vinho Chardonnay: O Guia Definitivo

Existem vários tipos de vinho e por causa da influência geográfica, do clima, da geologia, das uvas e suas combinações, além do trabalho dos enólogos e o terroir propriamente dito não é possível que existam dois vinhos iguais no mundo. Por isso, o vinho Chardonnay é um tipo da bebida de uva branca bem estruturado e de sabor rico que vale a pena ser consumido.


Tipo de uva

A uva Chardonnay é considerada uma das principais das cepas brancas em termos de qualidade e importância. Ela é conhecida como a “Rainha das uvas brancas”, por ser cultivada em vários países e uma das mais populares e plantadas no mundo. É a principal uva da Borgonha, uma região francesa vitivinicultora que produz vinhos de modo bem artesanal, com colheitas manuais




Versatilidade

Foi espalhada pelo mundo e atualmente encontra-se na África do Sul, Argentina, Chile, Estados Unidos e Nova Zelândia. Apesar da sua fama, podem existir diferenças entre os vinhos produzidos com ela. Mesmo assim, tê-la na adega é sinônimo de alta qualidade. Produz um vinho branco bem encorpado, seco e potente, com sabores do adstringente e metálico ao intenso e tropical dependendo das técnicas de vinicultura empregadas e do local em que a uva foi cultivada.


Tipo de vinho

O vinho Chardonnay é dourado, cheio e ousado na taça. Sua aparência é sensual e seu gosto saboroso. Tem aromas de mel, manteiga, frutas verdes (climas mais frios) ou tropicais (climas mais quentes) como abacaxi, nectarinas e pêssegos. Traz ao paladar sabores cremosos e ricos. Esses vinhos são mais estruturados devido ao álcool presente e por ser originários de regiões mais ensolaradas, se tiver notas de acidez melhor ainda porque tornam-se equilibrados. Muitos brincam dizendo que a Chardonnay é a mais ‘tinta’ das uvas brancas.


Localidade

A maioria dos vinhos brancos estruturados e frutados da uva Chardonnay é produzido em países do chamado Novo Mundo, como na Califórnia (EUA), na Argentina, no Chile, além de mais alguns locais da Europa que possuem bons exemplares caso da Espanha e França, sempre com sabores sutis e sofisticados. Muitos adquirem sua complexidade com a idade e acabam se beneficiando do caráter de carvalho abaunilhado ao passar por barricas de carvalho.


Intensidade


Curiosidade

O formato da garrafa pode variar de acordo com a uva ou região, em alguns casos devido aos resíduos do vinho. As uvas Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Merlot são embaladas em garrafas no formato Bordeaux. Já as castas de uvas Chardonnay e Pinot Noir no estilo Borgonha porque são vinhos que não costumam fazer a formação de sedimentos. Ela é oposta do formato Bordeaux porque possui os ombros caídos e atenuados, é mais alongada, com contornos suaves e a parte interior mais bojuda. É útil para estocar e envelhecer nas caves, uma vez que as garrafas são tradicionalmente dispostas umas invertidas às outras. Quando ver esse formato de garrafa num vinho branco já pode inferir ser, portanto, um vinho Chardonnay.





Rótulo

Outra característica que pode auxiliar ao saber se o vinho Chardonnay está na garrafa é que existem dois estilos principais de rótulos de vinhos. Um vinho identificado por seu nome de marca ou um vinho designado por suas credenciais de denominação. O primeiro vai indicar quais são as uvas presentes nesse vinho na parte frontal do rótulo (seja um branco, por exemplo, de Chardonnay ou tinto de Malbec ou um blend de uvas). Num vinho identificado por suas credenciais de denominação, ele terá no seu rótulo a região identificada e é esta denominação que delimita quais uvas são autorizadas para a sua fabricação.


DOC

A Borgonha possui três locais com produção bem versátil para o vinho Chardonnay. Um exemplo perfeito de um vinho de Denominação de Origem Controlada (DOC) é o Chablis: em nenhum lugar do rótulo diz que Chablis é um vinho Chardonnay, nem que Chablis é tipicamente elaborado com uvas Chardonnay. Mas, pela DOC é possível saber que Chablis é um vinho branco de uvas Chardonnay, elaborado na França. Essa região por ser mais ao norte é mais fria, por isso, o solo é mineral, tornando o vinho mais seco, com alta acidez, por isso são mais cítricos e minerais.


Se o vinhedo for localizado mais ao centro da Borgonha, podendo até ser um dos melhores do mundo, caso dos Gran Cru, o vinho terá mais corpo, maturidade, com passagem em barris de carvalho frânces, assim vai apresentar mais untuosidade e cremosidade. Muito elegante, com notas aromáticas e gustativas mais terciárias puxando para o acastanhado, “pão tostado”, manteiga, etc.

Ao sul da Borgonha, na região de Mâconnais, os vinhos serão mais frescos e frutados por ser um local mais quente, a concentração de açúcar é maior, são indicados para ser tomados mais jovens.




Resistência

Uma outra característica da uva Chardonnay é a sua resistência porque ela consegue manter-se bem tanto em cortes de Champagnes, localizada em regiões mais frias quanto em planícies ensolaradas e quentes trazendo outros aromas e sabores com a mesma uva.


Vinificação

O vinho Chardonnay passa por um processo de fermentação chamado malolático. O ácido málico é um composto orgânico que está presente em algumas frutas e verduras que tem um sabor ácido, por exemplo nas uvas, nas maçãs e em cerejas não maduras. Nas uvas, o ácido málico tem concentrações de 1 a 4 gramas por litro e é o responsável pelo sabor verde e ácido das mesmas. Então, durante a fermentação malolática, este ácido se transforma em ácido láctico e ao ler isso claro que pensou em leite, por isso que a uva Chardonnay tem notas de manteiga e creme em alguns vinhos.

Esse tipo de fermentação só pode ser utilizado nos vinhos que apresentam características necessárias e potência para suportar muitos períodos de descanso nos barris de carvalho e posterior guarda com a finalidade de dar notas especiais de leite como manteiga, queijo, iogurte ou creme ao vinho. Outra utilização é transformar a textura do corpo e a densidade no paladar. Em geral, é isso que acontece.

O que é importante saber: quando o vinho Chardonnay passa pelo processo de fermentação malolática e depois é envelhecido em barris de carvalho, ele adquire um rico e complexo grupo de sabores e aromas que pode agradar aos mais exigentes apreciadores de vinhos.




Climas frios

A Wine Lovers tem excelentes rótulos de vinho Chardonnay, de climas frios e quentes para você experimentar. De vinícolas como Vinãs Don Martín, da região de Mendoza, na Argentina, conheça o Finca Altorfer Chardonnay Premium, com 100% Chardonnay. Elaborado por fermentação controlada a temperaturas de 15 a 21o C, em aço inox. Seu envelhecimento é feito de 85% em aço inox e 15% em barris de carvalho francês e americano por três meses. Devido ao vinhedo estar localizado a 1000m acima do nível do mar, tem um alto teor alcoólico de 12,6%. Possui cor amarela com tons esverdeados, aromas de abacaxi, pêssego e maracujá. De paladar frutado, complexo, notas de madeira, acidez equilibrada. É um vinho muito elegante. Harmoniza muito bem com saladas e peixes e é perfeito como “welcome drink”.


Outra opção agora do Chile, em Casablanca Valley é o W of Paine Chardonnay, da vinícola William Cole Vineyards, com 100% Chardonnay. Fermentação de 15 dias em tanques de aço inox após desengace total de 100% das uvas. De cor amarela dourado com matizes esverdeados. Aromas de fruta madura, abacaxi e notas de azeitonas. Na boca persistência média, leve, fresco e corpo refrescante. Acidez suculenta e frutas com notas minerais. Ideal com ostras, peixes e carnes brancas.

Mais um vinho Chardonnay de clima frio no Chile, da região de Maipo Valley, da vinícola Santa Ema, é o premiado Gran Reserva Chardonnay, com 100% Chardonnay. Colheita manual, vinificação processada através da prensa dos cachos inteiros, mosto decantado e fermentado em barris de carvalho francês e americano, de primeiro uso, e conservado sobre suas borras por oito meses. Passa por um processo de clarificação e torna-se de cor amarelo ouro brilhante. No nariz, intensidade e complexidade. Delicadas notas de mel, banana, abacaxi e maracujá, baunilha e defumado. Paladar fresco e vibrante, equilibrado, agradável e com final persistente. Combina com peixes gordurosos, molhos de frutos do mar, caranguejos gratinados, carnes brancas e queijos maduros.


Climas quentes

O vinho Bogle Chardonnay, tem 100% de Chardonnay, da vinícola californiana Bogle Winery, região de Monteray/Lodi/Sonoma, de clima quente e ensolarado. Parcial fermentação malolática, estágio de sete meses em barris novos de carvalho americano. Alto teor alcoólico de 13,5%. Possui nariz com notas de maçã verde e pera madura. Na boca, notas cremosas e amanteigadas com tons de noz moscada. Final aveludado, longo e acidez equilibrada. Ideal com frutos do mar e peixes como bacalhau.


Um pouco de história

Não é de hoje que os vinhos brancos chamam a atenção dos consumidores. Inscrições do antigo Egito, da Grécia e Roma revelam desde os primórdios da civilização que os vinhos brancos espessos e doces fascinavam os homens. Nem tanto pelo paladar, mas pela grande resistência à oxidação por causa da concentração de açúcar presente naturalmente nas uvas, o que evitava que a bebida rapidamente se estragasse. Só isso já era um diferencial.

Alguns vinhos da época ganharam fama como os gregos Monenvasia e Samos; os italianos Amineum, Falernum e Tarraco que podem ser considerados como os mais consumidos da capital do antigo Império Romano.

Com o passar dos anos, os vinhos brancos ganharam fama mundial, o que contraria o que muitas pessoas pensam de que os tintos sempre foram os preferidos. Por exemplo, temos o hungáro, Tokay; o sul-africano, Constantia; os franceses, Sauternes; na categoria vinhos brancos de sobremesa. E os espanhóis, Jerez e Málaga; o italiano, Marsala; e os portugueses, Madeira e Porto; na categoria vinhos brancos fortificados.


A melhor opção

A estação da Primavera é considerada como uma transição entre o Inverno e o Verão, por isso os vinhos ainda podem ser leves, frutados, mas não tão refrescantes.

Sua harmonização é perfeita com peixes nobres untuosos como salmão, haddock e bacalhau. Combina bem com crustáceos, principalmente lagostas e camarões, servidos com molhos à base de manteiga justamente porque este vinho branco apresenta no paladar notas amanteigadas e de amêndoas. Ideal também com carnes brancas grelhadas, queijos leves e macios, foie gras e ostras.

O vinho Chardonnay é considerado varietal quando feito de apenas uma uva, mas dependendo da Denominação de Origem Controlada (DOC) pode ter algumas porcentagens de outras uvas do mesmo tipo, pois devem originar bebidas mais encorpadas.

A temperatura de serviço deve ser entre 12 e 14o C, menos gelado do que os brancos mais secos e frescos, para mostrar sua plenitude, leveza e descontração. Afinal, o vinho Chardonnay esbanja aromas e sabores frutados na taça!


Clique aqui é veja todos os rótulos com a uva Chardonnay

12 visualizações

32 99987-2728

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2018 Wine Lovers